Marlon não fica no Real e lamenta derrota do irmão Marlone no Puskas

Foram apenas dois dias de treinamentos com a camisa do Real Noroeste. Após ser apresentado na última semana como reforço do time de Águia Branca para a disputa do Campeonato Capixaba 2017, o meia Marlon, irmão gêmeo de Marlone, do Corinthians, revelou que não atuará mais pelo clube merengue. A justificativa do atleta é que sua esposa, que reside no Rio de Janeiro, encontrou dificuldades para ir morar no interior do Espírito Santo. Com isso, Marlon deve ter como destino o Santa Maria, de Brasília.

“Infelizmente não poderia ficar no Real Noroeste. Eu treinei com todo o elenco, gostei do clima, do ambiente, mas ainda não tinha assinado contrato oficialmente. Tive problemas para trazer minha esposa para vir morar aqui e, por isso, não ficarei. Afinal, a família tem que estar em primeiro lugar”, explicou Marlon.

Distante do Brasil, em Zurique, na Suíça, o irmão gêmeo de Marlon, Marlone, não conquistou o Prêmio Puskas de 2016. A decisão, que foi anunciada após votação popular na internet, causou tristeza no ex-meia merengue. Marlon afirma que acreditava bastante no título do irmão e garante: “o gol dele era o mais bonito”.

“O gol mais bonito foi decidido por voto popular, o que acabou prejudicando o meu irmão. Muitas pessoas, que torcem contra o Corinthians, acabaram votando para ele não vencer. Se a decisão fosse por votos de profissionais da área, o Marlone teria vencido. O gol dele era o mais bonito entre os três finalistas”, disse Marlon.